Emagrecimento: qual o segredo para emagrecer saudável.

Jefferson Thiago Gonela      sexta-feira, 10 de junho de 2016

Compartilhe esta página com seus amigos

Emagrecimento

 

Quando falamos de emagrecimento todos pensam no controle alimentar, no entanto, o exercício físico se faz parte necessário. Existem estudos que falam que a perda de peso com dieta sozinha ou dieta associada ao exercício físico são similares. No entanto, existe diferença entre perder peso e emagrecer.

Quando você perde peso você diminui sua massa na balança, ou seja, não importa o que você perdeu, pode ser gordura, água ou músculo. Quando você emagrece quer dizer que você reduziu gordura corporal.

Quando se faz dieta sozinha existe uma certa tendência a redução do peso sendo parte em gordura e parte em massa magra (músculo). No entanto, quando você apenas emagrece, geralmente, está associado com a perda de peso, mas não quer dizer que uma pessoa que emagreceu necessariamente perdeu peso, pois o peso pode ser mantido mesmo com o emagrecimento.

Entramos em um ponto crucial quando falamos de exercícios para emagrecimento. Os exercícios aeróbios tem um grande poder no emagrecimento e na perda de peso. A musculação também tem um papel importante no emagrecimento, no entanto, não tem um papel tão grande na perda de peso muscular.

Para falar de emagrecimento temos que falar no gasto energético total do indivíduo. O que acontece é que quando nos exercitamos aumentamos esse gasto energético. O aumento do gasto energético acontece não somente na hora do exercício, mas também, na sua recuperação (gasto energético de repouso). Exemplo: quando você se exercita, mesmo no seu descanso seu corpo gasta mais energia para repor tudo aquilo que você perdeu com o exercício e tenta te dar uma reserva a mais, para que não se machuque caso volte a se exercitar (se não for um atleta de final de semana).

Um dos maiores fatores que contribuem para o aumento do gasto energético de repouso é o aumento da temperatura corporal, com aumento das ações enzimáticas, e aumento do consumo de oxigênio pós-exercício (EPOC).

O aumento do consumo do consumo de oxigênio pós-exercício (EPOC) ocorre tanto nas atividades aeróbias quanto na musculação. Existe uma maior resposta de mobilização de gorduras após o exercício que pode variar em um aumento de 25% a 30%. O aumento do EPOC faz com que o corpo necessite de mais energia para se manter, pois cada litro de oxigênio consumido gasta cerca de 5 kcal. Esse EPOC alto pode durar até 48 horas (dependendo do exercício). Para se ter ideia o consumo de oxigênio fica alto para repor o glicogênio gasto, repor as proteínas quebradas e a hemoglobina (substancia que carrega o oxigênio no sangue) e mioglobina (substância que carrega oxigênio no músculo).

Nos exercícios aeróbios o EPOC fica mais elevado em atividades de maior intensidade >70%VO2máx (consumo máximo de oxigênio), ou seja, nas atividades com maior frequência cardíaca. Pessoas que querem emagrecer devem preferir atividades mais intensas do que longas. Ex: fazer 20 minutos de corrida com uma frequência cardíaca alta do que 1 hora de caminhada.

Alguns estudos mostram a musculação é melhor para causar distúrbios no metabolismo do que o exercício aeróbio. Isso acontece por que a musculação tem um maior poder de quebrar o equilíbrio do corpo do que o exercício aeróbio. Outro importante fator a favor do exercício de musculação é que ele provoca maior aumento de alguns hormônios que facilitam e aceleram a queima da gordura como o hormônio do crescimento, o cortisol e as catecolaminas (adrenalina, noradrenalina). Mais um fator a favor da musculação é que ela causa microlesões no musculo que precisa se regenerar mais forte e maior (hipertrofia muscular). A hipertrofia muscular (aumento da massa muscular) pode mascarar o emagrecimento pois a pessoa ganha músculo e perde gordura, desse modo, não muda o peso na balança, mas a pessoa perde gordura corporal. O aumento de massa muscular a longo prazo faz com que a pessoa gaste mais energia em repouso e faz com que a perda de gordura corporal seja mantida.

Seria bom que a pessoa pudesse aliar os dois tipos de atividade para aumentar os benefícios, mas sabemos que as pessoas têm preferências por uma ou outra atividade. O importante é se exercitar de maneira correta e consciente com um profissional capacitado.

Bom treino!

 

FOUREAUX, G.; PINTO, K.M.C.; DÂMASO, A. Efeito do consumo excessivo de oxigênio após exercício e da taxa metabólica de repouso no gasto energético. Rev Bras Med Esporte. v.12, n. 6, Nov/Dez, 2006.

 

SCUSSOLIN, T.R.; NAVARRO, A.C. musculação, uma alternativa válida no tratamento da obesidade. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. São Paulo v.1, n. 6, p. 74-83, Nov/Dez. 2007.

 

SANTOS, V.H.A.; NASCIMENTO, W.F.; LIBERALI, R. O treinamento de resistencia muscular localizada como intervenção no emagrecimento. Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. São Paulo v.2, n. 7, p. 34-43, Jan/Fev.

 

Comentários

Últimos artigos